sexta-feira, novembro 30, 2001

Ah, sim, queridos...

A quem interessar possa, esse blog aqui acabou. Sério.
Nenhum motivo especial, apenas cansei dele e ponto.

Estarei em outra URL (aliás, já estou nela há algum tempo). Lamento informá-los de que terão que me achar, já que não vou informar meu novo endereço aqui.

Mas, de preferência, torço para que ninguém encontre. Aliás, a idéia é justamente essa.

Obrigada pela "audiência", o carinho de alguns e as porradas de outros. Valeu enquanto valeu.

quarta-feira, novembro 28, 2001

Wilde, O Foda.

“Só há uma coisa pior do que falarem de nós: é não falarem de nós.”

“O único meio de livrar-se de uma tentação é ceder a ela. Pecando, o corpo se liberta do pecado, porque a ação é um meio de purificação. Nada resta, então, a não ser a lembrança de um prazer ou a volúpia de um remorso.”

“Somos castigados por nossas renúncias. Cada impulso que tentamos aniquilar, germina em nossa mente e nos envenena.”

“Podemos perdoar a um homem por ter feito uma coisa útil, desde que não a admire. A única desculpa por ter feito uma coisa inútil é admirá-la intensamente.”
Gozado, eu conheço uma pá de mineiros. A maioria é ótima. Uma minoria (meu ex) merecia ser castrada por um javali tinhoso em praça pública, mas isso é detalhe.
Sempre que você pergunta, "quais são as suas bandas preferidas"?, lá vem a respostinha prontinha: "Skank PatoFu Jota Quest Tianastácia". Sério. Eles não se envergonham nem um pouco desse protecionismo besta.

Nunca gostei de reggae, então não dá pra julgar imparcialmente o Skank nos seus primeiros trabalhos. Os CDs atuais são lixo, mesmo - irrecorrível. O Pato Fu gravou um bom CD (o primeiro) e algumas músicas soltas nos álbuns seguintes. O resto é bobagem metida a indie. Eu vi o primeiro show deles no Rio, num desses Hollywood Rocks da vida (na noite do Smashing Pumpkins e The Cure). Um efeito legal de bateria que fazia até o estômago da platéia trepidar. Estava com uma amiga que nunca tinha ido a um show de rock, e ela ficou siderada. Hoje ela nem sabe mais que porra de pato é esse.

Tem uma música do Jota Quest (acho que o nome é “Encontrar Alguém”), do tempo em que eles ainda se chamavam J.Quest. Uma fase um pouco mais autêntica, quando eles ainda brincavam de fazer black music e não tinham pintado o cabelo cor-de-fanta e passado a musicar poemas horríveis de artistas udigrudi mineiros (Paulinho Pedra Azul... ugh), musicados por melodias nauseantes.

Tianastácia... Sem comentários.

Da próxima vez que eu ouvir um “minerin” mandando essa letra, vou mandar outra por cima: “Caramba, mas o seu estado em matéria de música devia ter parado na época do Clube da Esquina, hein?”.
Nada pessoal.
Droga.
Hoje me deu vontade de pintar de rosa as pontas dos cabelos. Descolorir e depois meter um pink-pelúcia nelas.
Mas não dá. Já pensou na hora de ir pra uma entrevista de emprego? Pra uma ocasião solene? O que faço com as pontas cor-de-rosa do cabelo? Corto? Enfio pra dentro da blusa? Prendo? Coloco um chapéu? Boné?

Quando eu era criança, queria tatuar o Calvin nas costas – minha mãe ameaçou me internar num hospício. Sério, me levou até ao psicólogo, e ele disse que “eu devia estar me sentindo negligenciada, e só queria chamar a atenção”. O caramba – o que eu "só queria" era fazer a tatoo do Calvin - porque me amarrava nele, oras!

Esse mundo é muito sem graça. Entrevistadores de empresas julgam as outras pelo que estão vendo do lado de fora (sejam atitudes, roupas, cheiro, etc) e não pelo que elas são capazes de produzir. Preferem dar emprego ao boçal incapaz de ser criativo mas que “não fuma não bebe é bem casado e tem filhos lindos e diploma superior e dentes perfeitos e cabelos loirinhos” ao invés do cara mal vestido e maluco, mas talvez por isso mesmo capaz de idéias “incomumente” brilhantes.

O que importa se a pessoa usa terno vermelho, se pinta as unhas de azul e o cabelo de lilás? Isso a transforma numa imbecil? Será que eles acreditam MESMO que as pessoas malucas vão se vestir malucamente pra uma entrevista? Elas vão se “disfarçar” de gente normal – mas eles vão estar contratando gente doida do mesmo modo. Eles estão apenas se enganando. Gente maluca é esperta.

Tá bão. Se eles acham que uma aparência OMO vale mais do que inteligência, palmas pra eles.
Maciez é Confort.
(liguem não, eu tô surtadérrima, hoje)
Gente, o que era aquilo na cerimônia de casamento da Simmony??
Me refiro aos peitos da garota. Caramba!
Sério, eu só tinha visto um peito daquele tamanho na capa de Hustler. Aquela mulher devia estar milionária – em tempos de silicone, ela podia vender pedaços de peito pra implante. A quilo.
Estou de saco cheio de aturar pseudo inteligentes plantados na minha vida.

Gente chata. Parece que sua única finalidade sob o globo terrestre é me apontar aquele dedo gigantesco e mostrar pra mim mesma as minhas próprias falhas. Como se eles fossem infalíveis. Como se não cometessem suas ignorâncias e erros primevos uma hora ou outra. Como se eu fosse umas dessas idiotas que acreditam em duendes e não diferenciam um computador de um microondas.

O que eu acho emocionante de tão imbecil é que basta um retardado qualquer começar a tirar dez nas provas da escola e ser aprovado em concursos dispensáveis, que automaticamente se supõe "inteligente" e começa a dar pitacos não solicitados na vida dos outros - a quem na verdade inveja e está tolamente tentando impressionar. Cuspe.

Tomara que essa gente não demore a perceber o óbvio: estão muito longe de conseguir fazer, mesmo com o maior dos esforços, o que as pessoas realmente inteligentes fazem brincando.

Sempre se pode pastar, de qualquer modo.

domingo, novembro 25, 2001

Domingo... eca.
Hoje foi tão mala, que o raro aconteceu... Eu não estava mais aguentando ficar em casa.
Se não tivesse que fazer os dois trabalhos da Marlene e escrever o texto da minha apresentação da terça-feira, teria ido pra rua... Desanuviar a mente, you know.

Preciso de uma viagem.
Eu também adoro listinhas.

A minha digna de nota é a do supermercado.

# Papinha de bebê da Gerber (as de frutas com iogurte)
# Batata Pringle’s (a lata verde ou laranja)
# Pipoca de microondas
# Abacaxi, maçãs e uvas sem caroço
# Miojo, vários sabores
# Pizzas semi prontas
# Creme de leite
# Coca Light
# Saquinho de Bubaloo Tutti Frutti
# Chee-tos Requeijão
# Queijo Gouda
# Tomates e berinjelas (amo berinjelas, até a cor é fashion)
# Xarope de groselha, sucos em caixa, em garrafa e em pó. Viciada em líquidos.
# Keep Cooler, sempre que acho. Qualquer sabor.

O que não entra nunca:
# sorvete e chocolate. Acho uma merda.
# kani – aquilo me provoca engulhos.
# material de limpeza (dona-de-casa demais. Tô fora)
# coisas caras – essas eu deixo pra mãe comprar.
Estou triste, estou chateada, estou esquisita.
Things just cannot keep on going this way...
Domingo... Pus a rede no terraço, levei o portátil e fiquei lá... que nem uma panaca me sacudindo na rede e ouvindo Fake Plastic Trees do Radiohead. Olhando o céu... A lua crescente no meio de um monte de nuvens.

Eu adoro olhar pro céu. Amo estrelas. Nada me deixa mais feliz quando estou me sentindo fodida. Sei lá, ajuda a me sentir ridícula por estar me sentindo fodida – e isso é legal.

Tem mosquito pra caramba. E morcegos – sim, aqueles bichinhos que voam à noite, têm asas mas são mamíferos, dormem de cabeça pra baixo e têm fama de hematófagos. São muito feios, mas inofensivos.

Me senti meio besta... Sei lá, não é como era na outra casa (anterior à anterior). Me senti nostálgica, nostalgia de muita coisa.
Que coisa mais boba. Que droga de dia mais bobo.
Criticizing is COOL...

A nova onda agora é falar sobre. To talk about. No caso, falar do alheio.

Proliferam pelo Blogger os blogs sobre outros blogs. Numa manhã de ócio na casa do Cris, achei o Top, uma graça. Diferente dos demais, a intenção do trio (?) parece ser a de fazer colunismo venenoso. Com o mesmo template da coluna social, eles não se limitam a falar – falam mal.

Penso quase a mesma coisa sobre todos os blogs citados. Achei engraçadíssimo esse post aqui:

o mundo não será mais o mesmo depois do filósofo e grande figura humana mala AV fazer mais um bocejante tratado, desta vez sobre o touristguy. Ele deve estar fazendo concorrência com a sumidade em inteligência artificial Sonia Abraão. E depois fica revoltado porque não escreve e ninguém reclama. Masoquismo tem limites.

Pelo menos não tem a “pretensão de seriedade” de alguns blogs julgadores. Quer coisa mais besta do que tentar ser “sério” falando de uma coisa tão singelamente inútil feito blogs? Isso é coisa pra prejudicados mentais, ou pra nerds em estágio terminal.

Agora temos três sites pra nos divertir no ócio: Jackie Miller, Piores Blogs e Top of the Pops. O último eu recomendo totalmente, ainda que venham a falar mal de mim. Aliás, vou adorar.
Estou vendendo um celular e um fogão de duas bocas. Preciso fazer dinheiro, quero voltar à vida de camelô.
Ou, sei lá, aceito sociedade. Entrem com a grana e eu entro com o trabalho. Eu vendo direitinho.
"Deixo como castigo aos pobres de espírito a consciência de sê-lo."
She's so beautiful...

Cansada dessas fontes coloridas.
Cansada desse layout preto.
Cansada dessa caveira muda.
Cansada desse blog.

(onde é mesmo que fica o botão delete this blog?)
E eu não quero Ouvir Dire Straits, PORRA!

Tá, o Mark toca pra caralho, mas Brothers in Arms me dá um sono do cão. PORRA, desliguem essa FM maldita, filhos da puta, são três da manhã e eu TENHO que dormir MUITO hoje!!

Cadê a lei do silêncio? Vou fazer valer a Lei do Fuzil daqui a breve.
Odeio me sentir idiota e não ter tempo de reagir antes que a hora certa escoe pelo ralo.

O dia foi ótimo, enchi a cara de cerveja (pagaram Skol de 1,80 para mim), ri feito uma condenada, suei como uma vaca indo pro abatedouro (calor, calor, calor... Finlândia, NOW!) e comi como uma eritréia desesperada.

No fim do dia, a merda absoluta. Uma frase mal colocada, e eu engulo em seco (prefria engolir o SANGUE dele, mas minha fase pró-vampirismo ficou perdida nalgum porão da adolescência que tá indo embora). Ímpeto assassino controlado pelo meu bom senso. Merda. Mil vezes MERDA, viu?

"I wanna be alone"

sexta-feira, novembro 23, 2001


"YOU ARE WHAT YOU ARE
AND WHAT YOU ARE IS OK"

"NORMAL IS BORING"


- by Fido Dido


Fido is for Fido. Fido is against no one. Fido is Youth. Fido has no age. Fido sees everything. Fido judges nothing. Fido is Innocent. Fido is Power. Fido comes from the Past. Fido is Future...
(esse camarada era foda)
Indie rock... eu gosto, masssssss...
Acho que o povo tá exagerando no termo fofolice/fofolete/etc. É só fazer qualquer coisa com um violino, uma guitarrinha monocórdica ou beeeeem dedilhadinha, e botar uma puta com cara de debilóide e voz de limítrofe à frente da banda - de preferência vestida de lactente - e pimba. Dez milhões de cópias só nos EUA.

Acho que ainda dá tempo de melhorar o meu inglês e comprar umas roupas na Giovanna Baby.
Quem quiser montar uma banda indie, e só falar comigo. Não precisa saber tocar bem, basta conseguir tocar e mascar chiclete ao mesmo tempo.

Oppinion: ser indie não é isso, indie não é "rock bonitinho", feito sob encomenda pra embalar os sonhos azuis de meninas que colecionam bichos de pelúcia, usam tênis plataforma e se vestem na Vale das Bonecas. Indie é tão somente uma abreviação de “independent”. E é a última coisas que a maioria das “indie bands” é. Antes, “indie” era uma bandeira, um estado. Agora é um estilo.

E a mudança não fez nada bem pra música...
Meu pai comprou um Rider do Guga na C&A . Muito foda o chinelo.
Tem uma sola grossa e parecida com sola de pneu. Todo preto, um botão prateado meio fosco em cima... Me amarrei no sapato, fui comprar, mas o vendedor disse que ele acaba em minutos. Merda.

Enchi tanto o saco do meu pai que ele me deu o chinelo.
Costurei uma calça curta e larga, preta. Comprei por 15 reais uma camiseta black fofa na C&A, renda na gola e uma frase meiga estampada. Pode sair barato ficar fashion, mas dá um trabalho...

Roupa perfeita pra ir à faculdade, onde as garotas mais “chiques” usam roupa da Informal (uma malharia de quinta categoria). O Marcos odiaria me ver vestida assim. Ele, que odeia vestido comprido, calça larga... Tem um gosto muito parecido com o dos peões de obra: gosta de mulher de calça saint tropez. Gosta de ver as garotas metidas em roupas que “mostrem o corpo”, como se o nosso corpo fosse algo pra ser mostrado pra qualquer pé de chinelo around.

Foda-se. De volta aos coturnos. Aos vestidos lá no pé. Às batas de “hippie suja” – e daí? EU tomo banho! De volta aos anéis de bichinho, aos colares de metal e às meias do Fido Dido.
Por aí na web eu encontrei com um camarada que tem um blog pensante.

Nunca gostei – opinião minha, normal. Mas o que me chamou atenção, desta vez, é que ele anda por demais revoltado com gente revoltada. A cada cinco posts (longos e chatos, sempre) quatro são (sub)utilizados pra meter o malho em gente que mete o malho.

Peraí. Deixa eu ver se entendi: Ele fica “revoltado” com a “revolta”, e “mete o malho” em quem “mete o malho”??

Nossa. Isso me cheira a contradição. Ou a arrogância oca, o que é pior. Ele pode fazer tudo o que acha que os outros não podem.

As pessoas continuam levando muito a sério a revolta alheia. Como eu já disse aqui, eu não odeio tudo... Basicamente, só a falta de grana e a hipocrisia renitente - o resto é consequência. E posto aqui sobre novela, minha faculdade nojenta, as músicas que eu gosto (ou não), os meus amigos carniceiros, minhas vontades, e, é claro, a vida alheia.

Realmente, desperdício. Mas lendo o site dele, descobri um novo sinônimo para esse substantivo: pretensão.

E acho no respect total quem fala mal de outros blogs sem identificá-los. Eu sempre pus a minha cara a tapa.
Chega de ser legal.
Nem todos serão contemplados com o sopro de enxofre divino no Armagedon. O Armageddon morre de medo de contrair HIV. Se depender disso, muitos ficarão pra semente.

quinta-feira, novembro 22, 2001

Se quer MESMO fazer algo pelos que estão na base da pirâmide social, dê-lhes casa, comida, educação e um objetivo na vida. É disso que eles precisam, e não do seu puxa-saquismo fingido.
Se não quiser fazer isso, faça o seguinte: cuspa neles.
É bem melhor do que chamar de coitadinhos e ir pra casa encher o rabo de comida se lixando para o fato de que estão morrendo de fome.
Qual é o problema em detratar as minorias??
Eu também faço parte de uma. A minoria inteligente, bonita, desencanada e sem frescuras do planeta.
E, se você discorda, respeito a sua opinião.
De qualquer maneira, foda-se.

quarta-feira, novembro 21, 2001

Que lindo!
Um monte de mensagens do mail form na minha caixinha, hoje. Love mails, hate mails e os “não entendi nada” mails. Fico felicíssima. Usem mesmo a mail form terrorista, é a (única) cortesia da casa: não paga nada, não precisa se identificar e você ainda pode ter o prazer de ver seu nome publicado no blog mais escroto da web.

A seguir, respondendo a alguns incautos...

Pablo, o email snap-alguma-coisa deu problemas de novo. Entre em contato por outro endereço, please.

Janaína, sim – o projeto do blog de grrls é sério. Já foram pro seu email as “regras do concurso” – nossa, essa foi patética, sorry.

Name = Thiago
replyemail = AH!! Seu Blog é muito maneiro!!! Pra falar mal de certas coisas tem que ter classe, e você tem de sobra!!!

Well, filho, “classe” realmente não tem sido uma virtude das mais constantes aqui, mas estamos nos esforçando para melhor servi-lo. Continue conosco.

Name = Ps Y
replyemail= meta a bota nesse cara, eu acho muito legal coturno, camisetas dementes, putz, se alguém tem que gostar de você, tem que te aceitar do jeito que você é... voce eh super legal e nao deve se reprimir pelas merdas que esses caras fazem! =)

Valeu pela força, filho... Vou considerar suas sábias palavras quando for tomar uma decisão quanto ao futuro (ou não) do MALA do meu quase-ex-namorado.

name = Phanton
where = tase@fudendo.com
replyemail = Porra Miss Belle X, tá sô se fudendo hein......Outro dia um figura coloca seu blog nos piores, ontem o viado te estraçalha,....vc até tirou o link pro blog dele................Miss Belle, já te falei, vê se cresce pra fazer alguma coisa mais produtiva..........ficar reclamando o dia inteiro neste blogizinho vagabundo não dá........

Tsc. Outro viado (ou vadia barata) problemático. Cheiro de coisa made in Irajá. Eca.

Apenas uma besta quadrada acredita que a net tem o poder de fuder (sic) com alguém. Reputação na web? Credo. Coisa de gente suja. Aqui ninguém usa identidade. Se me interessasse, bastaria eu deletar esse blog aqui, fazer outro acolá e mudar de nick. Pronto. Lá se foi uma “má reputação” pra casa do caralho.

E você tem razão, foi um “figura” que pôs meu blog na lista dos piores. Eu adorei a deixa. Mas como ele já foi assunto aqui a uns posts atrás, nem vou me dar ao trabalho de comentar. Quanto ao leãozinho gay... Uma criança homossexual que batiza seu blog de “roar” merece algum crédito??? Depois eu te mostro aqui COMO se estraçalha uma pessoa.

E que link foi removido?? Nunca tive link pro Piores Blogs. O do leãozinho gay suicida eu removi há meses, bem antes da “polêmica”. Você está mal informado(a).

E se você não gosta das minhas reclamações, eu tomo isso como elogio. Não há coisa mais “massageante” pro meu ego do que ser odiada por boçais dos quais eu nem sei o nome. E que entram nessa minha URL fedida todos os dias, atrás de algo com o que preencher suas vidinhas vazias. Se pelo menos para isso eu sirvo, criança, i’m too happy for this web.
name = Clarissa
replyemail = Ahhhhhh, Miss Belle! A gente sabe que vc não vai acabar com esse blog, nem que seja só pra irritar pessoas que dizem em seus próprios blogs que não gostam daqui, e mesmo assim não param de entrar (nem que seja pra ler e ter o q escrever criticando o cantinho).

Eu pretendo mesmo mandar esse blog pro espaço, não por medo de críticas e sim porque enjoei da temática. Quanto a essas pessoinhas que você mencionou: entrar aqui é liberado pra geral, afinal é uma URL pública, e se eu tivesse restrições, colocaria senha. Mas não é pra elas que eu escrevo, e nunca as levo em consideração pra nada. Honestly, elas só servem pra me divertir com seus patéticos hate mails e hate posts.

name = menina sem pernas depiladas
replyemail = se você não fosse mau humorada, você ia ser um porre. ;0] bom blog o seu, com boas referências de musica,cinema e sei lá o que. porque eu to escrevendo aqui :ksnmbkds

Gostei do seu nick. Infelizmente eu me vejo obrigada a depilar as minhas pernas. Mas tudo bem, daqui a pouco voltarei a ser solteira e punk de novo, aí essa fase passa. Referências a música? Cinema? Não! Não fala isso de mim, pelamordedeus, não espalha! Já pensou se os fãs de RPG, cinema da Estônia, literatura birmanesa, música das Ilhas Virgens, cismam de entrar nesse blog aqui atrás de "referências"? Puta que pariu.

E, ao amigo Lucas, que me questionou sobre a forma como eu me referi aos índios num post passado... Quando me referi a indígenas como “aculturados”, tomei como ponto de observação hipotético a cultura européia, a que nós, brasileiros, fomos obrigados a adotar.

Eu não quis chamar índios de burros, ou coisa semelhante. Têm a cultura deles, devastada pela força colonizadora. É natural, no entanto, que tenham passado algo para o mix cultural que é o Brasil (inclua aí os negros, também). Uso sim algumas palavras de origem indígena, africana, inglesa, francesa e outros bichos no blog.

O que quis dizer foi que, embora eu respeite a cultura indígena, não foi ela que produziu a arte que está me faltando nesse momento. E se em 1500 eu tivesse que escolher entre índios e colonizadores portugueses, teria ficado com os segundos. Por quê? Ora, meu caro - eu prefiro mil vezes estar aqui batendo esse papo com você via web, vendo meus filmes europeus e lendo excelentes livros escritos ou traduzidos para o português (e não tupi-guarani), do que à essa altura dos tempos, estar pintando a cara numa oca e declarando guerra à tribo vizinha...

Ei! Eu acho que isso também tá acontecendo na "nossa cultura européia", né não?
Ato falho... Abstraia, por favor.

terça-feira, novembro 20, 2001


Acabo de botar remédio pra mosquito aqui no quarto. Insect Killer.
Pelo cheiro, devia se chamar Human Killer.

Fede pra caralho, pusta! Cof, cof, cof - estou sufocando.
Esses produtos deviam ser proibidos ou vir com seguro de vida gratuito.

Mas, pensando bem, eu mereço morrer, mesmo.
Descobri que gosto de Goo Goo Dolls. Isso é motivo pra suicídio, mas como eu sou covarde demais para tanto, me viro comendo Matox (é, aquele remédio pra matar baratas).
Pessoas, preciso ler. Preciso ver filmes.
Tô virando uma aculturada. Daqui a pouco vou começar a falar tupi-guarani e usar short de náilon, morar em ocas e exigir demarcação de áreas indígenas.

Tenho uma lista de uns 100 livros pra ler, e mais 100 filmes por assistir. Tô deprimindo.
Aqui no meu bairro metido a besta, não vi nenhuma locadora de vídeo. Meu videocassete está quebrado. E não tenho DVD player.

Livros? Eles custam dinheiro.

Acho mais fácil comprar logo um dicionário de tupi-guarani e aprender a dançar a dança da chuva.

segunda-feira, novembro 19, 2001

Tive uma idéia original.
Vou deletar esse blog aqui e fazer um coletivo, só de meninas.
Alguma garota sem frescuras se habilita?

Eu devo estar quase solteira. Estou quase dando um pé definitivo no atual, e ele não está percebendo (ou faz que não percebe). Que bom - pelo menos vou poder voltar a usar as roupas que ele odeia. Viva as saias compridas. Viva os coturnos. Viva os brincos engraçados. De volta à maquiagem carregada em ocasiões especiais (tipo ir à padaria). Viva os perfumes adocicados, os tênis de cores berrantes e as camisetas com estampas debilóides.

Em suma, viva eu, o meu jeitão. Alone again, naturally.
Mas eu faço o quê? Meto o pé nesse mala ou não?
Lá vem o verão. Estou parecendo vela sem uso. Branca e apagada.

Calor... Eu transpiro à beça. Eu acho patético as pessoas dizendo que preferem o verão num estado onde 40 graus centígrados é só o começo da brincadeira. Que brincadeira? A brincadeira sem graça que São Pedro adora fazer com carioca. Esse puto deve ser paulista, só pode...

Tem coisa mais ESCROTA que aquela marca de suor debaixo do braço?? Não há finesse que sobreviva. Nem humor.

Eu amo o inverno. Amo casacos pesados. Adoro coturnos, mas usados de um jeito sexy (sim, é possível!!). Repito que queria ser londrina, fazer comprinhas num flea market em Camdem Town, ir prum daqueles distritos industriais cheios de ruínas de fábricas de séculos passados e brincar de pique-esconde com um namorado lindo, inteligente e com aquele sotaque carregado...

Queria andar de bike em Birminghan. Queria ter esbarrado com o Morrissey numa esquina, e que ele tivesse deixado cair o caderninho de poesias... Daí eu o roubaria, e leria em primeira mão as letras de Panic, I Know it's Over, Cemetery Gates, Shoplifters of the World...

Ao invés disso tudo, eu tenho verão. Tenho praia poluída, quiosques vendendo água de coco a preços absurdos (o bom disso é que eu odeio água de coco!), bundas cheias de celulite escapando por entre as tirinhas de lycra do biquíni... Tenho pagode tocando, tenho filho de pobre comendo milho verde (e largando a casca e o sabugo chupado na areia), tenho aquele cheiro insuportável de bronzeador vagabundo... E aqueles horripilantes vendedores ambulantes, carregando um galão de mate pela praia - e o carioca lesado ainda apregoa que isso tudo é o "símbolo do verão da cidade".

Quero mudar de cidade. E de estação.

domingo, novembro 18, 2001

Eu simplesmente odeio domingos.
Mas Deus, domingos à tarde???
Aí já é pegar pesado demais.
Que adorável. Estou lisonjeada.
Recebi uma phone call diretamente de SP, de um blogueiro mainstrean, que tem fama de maluco, mas é um bombom de gente.

Um dia eu ainda entro pra panela... :o)
Sábado e domingo. Pfe.

Minha mãe conseguiu foder com o meu weekend.
Cheguei em casa ontem à noitinha com o Patão, e encontro duas primas acampadas no meu quarto. Confirmei a minha teoria - criança não rola!

A peste mais nova é completamente imbecil. Prejuízos de uma educação equivocada, of course. Puta que pariu. A infeliz tem dez anos, mas ainda deve estar presa no período sensório motor do desenvolvimento. Ficava perguntando "o que é isso??", "o que é aquilo??" como se tivesse dois anos. Ficava berrando do lado do telefone quando eu falava, e bastava eu ameaçar sentar na frente do micro, que a craca vinha sentar no meu colo e apertar as teclas.

Cacete.

A mais velha é um projeto de puta em estágio adiantado. Fuçou toda a minha maquiagem, leu sites de sacanagem (gozado, ela sabia as URLs), e enquanto eu falava no Messenger com um amigo que teve a ingenuidade de mandar um beijo pra ela, disse que queria o beijo na boca. E de língua.

Crianças... Cuspe, cuspe...
Excelente notícia, no entanto - Segunda e terça não tem aula na FFP.
O feriadão continua... Zumbi rulez!
Linda, essa música. Linda e triste.
Um cara escrevendo uma carta de despedida pra menina que ele não ama mais.
É, um dia eu acho que todo mundo tem que passar por isso.
Ou escrevendo, ou lendo.

elise, believe i never wanted this
i thought this time i’d keep all of my promises
i thought you were the girl i always dreamed about
but i let the dream go
and the promises broke
and make believe ran out...


(- a letter to elise, the cure)
Uma das razões pela qual eu odeio a web... é uma terra de ninguém.

Os sites oferecem excelentes serviços, conquistam zilhões de usuários, e quando caem no vermelho ou resolvem parar com tudo, simplesmente desaparecem, deixando as pessoas que confiaram na proposta completamente fodidas. E sem vaselina.

Claro - qual será a implicação disso pra eles? Nenhuma. Não há como exigir ser ressarcido por algo que não foi pago. Esses cães do inferno deviam cobrar, nem que fosse dois reais por mês, para tornar o servicinho deles minimamente lucrativo e garantir a tranquilidade dos usuários.

Devia haver uma boa (e agressiva) legislação pra internet, e rápido. Assim esses desocupados filhos da puta iam pensar umas vinte vezes, pelo menos, antes de foder com a vida (e a HP) alheia.
Estou testando esse site de hospedagem de fotos aqui. Já vi que não vai servir - demora horrores pra carregar as imagens.

Uma pena, mesmo. O Fotki era perfeito.

O Cacá me mandou esse aqui, mas ele só aceita JPGs... Que coisa. E ambos ainda têm aquelas pop-ups "suas fotos estão sendo enviadas... aguarde.....................".

E aí você mofa.... mofa... mofa... E no final dá erro, porque ao pedir a URL da foto, o e-fotos faz o favor de dá-la em código ininteligível, que não a linka em lugar algum.

É... preciso aprender a usar o HPG.
À tarde foi assim:

Patão comprou o DVD do Velvet Goldmine e eu fui lá ver. Bolo, coca cola e um dos filmes mais legais que já vi. Ele não sabia, mas eu já tinha assistido antes na casa da Irene. É incrível o contraste feito entre aquela alegoria de cores dos anos 70 e o cinza-opressão dos anos 80 (onde os personagens só se vestem de negro).

A trilha sonora, então, nem se fala. Peguei o CD do Patão pra gravar, mas meu CD-R deu pau – merda, nada é perfeito. Thom York, Placebo, Pulp, Teenage Fanclub, Brian Eno... E o menino que interpreta o Brian Slade é muito fofinho!! Esquelético e com cara de ET, é fato – mas aquela boquinha
de neném, hummm...

Eu uso glitter pra fazer FBs, mas depois desse filme eles nunca mais tiveram o mesmo significado.
(e essa porra aqui não é crítica literária).
que noite legalllllllll...

sábado, novembro 17, 2001

E lá vem o Natal...
Foi Natal ontem, também. 2001 passou voando - foi mesmo uma odisséia no espaço, só que em fast forward.
Amanheceu um dia qualquer, e ele guardou o amor na gaveta do criado mudo.

Ela ainda dormia, e não flagrou o gesto. Acordou como de hábito para os seus afazeres, e não reparou naquela coisinha quente, terna e pulsante fazendo um barulho chato dentro da gaveta. Pensou que fossem os meninos jogando bola na rua. E saiu para o trabalho.

Os dias se passaram, e os braços dele não eram mais acolhedores. O abraço que antes abrigava, agora era frouxo, não prendia, não parecia querer abraçar. Os beijos foram se resumindo a complemento do sexo, e não mais a despertavam, sem querer, de sonhos bons no meio da noite. Foram se resumindo. Foram sumindo. Foram indo.

Assim como os telefonemas para o celular, no meio do trabalho, só pra dizer “eu te amo”. Os papeizinhos pra anotar recado perto do telefone, nunca mais se transformaram em bilhetinhos carinhosos. Na vitrine da floricultura, as begônias a olhavam passando para ir buscar as crianças no colégio – não, as flores nunca mais a visitaram.

O vidro de perfume que ele usava sempre, ficou pela metade. Ele nunca mais se perfumou para agradá-la. E aquele casaco azul, da mesma cor dos olhos dele, esse foi parar na sacola de roupas velhas pra doar à igreja. Ela ressentiu-se e se fechou na sua concha de suposições. Foi retirando respostas de dúvidas, e transformando-as em certezas. Ele não queria mais deixá-la feliz.

E a felicidade pulou pela janela da sala uma tarde, estatelou-se lá embaixo. Ninguém sabe se morreu – o fato é que não voltou.

Anos depois (os dois já não mais neste mundo), a gaveta do criado mudo foi aberta pela filha mais velha. O amor estava ali, ressequido, quase inerte, quase morto – mas vivo. Não estava sozinho. Na gaveta de baixo, havia um outro amor, nem tão ressequido, nem tão inerte, ainda menos morto. O amor dela.

A filha balançou a cabeça, pesarosa. “Pobre mamãe! Não viu, mas guardou seu amor sem saber que o de papai sempre esteve ali, apenas esperando que ela simplesmente abrisse a gaveta certa”.

Tá. Momento piegas, e daí? Algum problema??

Mais uma gordinha insatisfeita morreu na mesa da lipoaspiração.
Mulherada burra. Quer emagrecer? Feche a boca e faça ginástica. Preferem abrir - a barriga, na clínica. Depois acabam abrindo as portas no inferno.

Prefiro passar fome a morrer. E preferiria ser obesa a ser cadáver. É tudo tão simples... e as pessoas morrem.
É que as pessoas são simples, também. Simplórias.

O cômico é que geralmente elas morrem na anestesia, ANTES da lipo. Ou sejam, morrem gordas.
E como não se faz lipo no inferno (os cirurgiões que estão lá tiveram os registros cassados quando vivos), o castigo dessas jamantas é passar a eternidade no inferno E gordas.

Bom, pelo menos a quentura deve derreter um pouco da banha – o problema é que assim o fogo aumenta.
O que pode ser pior do que fazer uma faculdade pé no saco? Fazer um trabalho pé no saco num grupo idem.
Análise do livro “O Uraguai”. Um livro escrito em verso. Cinco cantos narrando batalha entre colonizadores e jesuítas. Tudo muito "interessante". Graças a esse brilhante exemplar da literatura barroca (??), eu abandonei meus remédios pra dormir. O Uraguai é tiro e queda.

As meninas do grupo agem como se estivessem prestes a ganhar o Nobel de Literatura. Eu não acho que isso seja entusiasmo, e sim submissão a uma professora idiota que acha que vamos ser melhores pessoas se soubermos analisar poemas sob a ótica dela.

Eu adoro poesia. Não acho, como alguns seres que conheço, que poesias sejam masturbação de autores, ininteligíveis e idiotas por definição. Poesia é uma coisa legal de se ler, mais ainda se você não se propuser a chegar ao âmago de porra nenhuma. A interpretação de poesia é uma coisa subjetiva, lúdica, intuitiva e PESSOAL. Odeio quando eles transformam poesia em equação, e ficam brincando de fazer análise sintática com versos. Puta que pariu.

O trabalho vai ser “debatido” semana que vem, e deve ser entregue na outra semana.
Até lá, pedreira. Ouvir aquelas idiotas que se acham o cúmulo da sapiência acumulada dando suas opiniões óbvias como se tivessem descoberto uma constelação nova no céu. Puta que pariu II.

Essa minha faculdade nada mais é que uma sucessão de “puta que pariu, puta que pariu, puta que pariu, puta que pariu...”.
Por que o povo do Rio está reclamando por beber água podre?
As praias são TODAS esgoto a céu aberto. E o pessoal continua nadando nelas.

Qual a porra da diferença, afinal?

quinta-feira, novembro 15, 2001

Desisto.
Preciso de um lugar decente pra hospedar minhas fotos e parar de encher o saco dos meus amigos pedindo que façam isso por mim. Sei que eles têm a maior das boas vontades, mas às vezes cansa, né?

Alguém conhece algum host de fotos que PRESTE?
Fui na casa do meu pai, e à minha espera, 26 cartas. Uma da Arábia Saudita, outra da Noruega,, outra da Finlândia, outra do Chipre (??), e por fim uma italianinha. Meu nome ainda circula nos FBs com o endereço antigo.

A carta do árabe mandou um postal lindo de gatos. A Italiana mandou uma embalagem vazia de torrone e alguns FBs. A finlandesa mandou algumas tatuagens removíveis (coloquei uma índia colorida no braço, agora), uma moedinha da Finlândia (claro...), adesivos e FBs.

Cartas são mais legais que e-mails. Levei anos pra entender isso.
Mas não voltarei a escrevê-las. Página virada na minha vida.
E, por favor, chega desse papo.
Não estou aqui pra julgar outros blogs. Já tem muita gente por aí fazendo isso.

Citei os que não gosto porque não tenho nada a esconder, e para me defender de algumas agressões que estavam me cansando a beleza. É apenas um momento, não a idéia central dessa página.

Mas acho que as pessoas que me interessam já sabem disso.
Quanto ao resto, que se foda.
Hoje descobri mais um nome pra minha listinha de traidores.
O moço (se é que pode se chamar assim um gay...) desse blog resolveu postar nalgum outro lugar vomitável que eu era algum tipo de vaca problemática. Disse que eu "vivia pedindo" ajuda a ele pra melhorar meu template, e quando ele respondeu "como eu merecia", eu fiquei putinha.

Primeiro, vamos ser justos.
Amigo, eu lembro de você, sim. Lembro como foi gentil comigo. Eu pedi sim, ajuda com o meu template (que você NUNCA deu). Tudo bem, ajudar não é algo compulsório. Mas eu nunca encerrei relações com você. Somente parei de receber seus emails. Nunca questionei o fato, nem te escrevi perguntando a razão do sumiço porque isso não é da minha natureza. Só isso.

Você deve ter sumido porque leu algo no meu blog de que não gostou, e vestiu a carapuça. Típico de gente fraca e que não se assume. Mais típico ainda de homossexuais, em sua imensa maioria uns chorões que optaram por seguir um caminho árduo na vida, mas que não têm testosterona o bastante pra encará-lo.

Daí passam a vida se lamuriando por serem discriminados, por não ter amigos fiéis nem um amor de verdade, e por sempre ver o bofe dos seus sonhos passar atracado com uma loira coxuda e peituda. Isso deve doer, convenhamos.

Que fique claro - nem toda bicha é cheia de nóias. Mas uns 98,9% delas, são, sim. Esse é o caso do menino acima mencionado. Filho, lamento, mas você se equivocou completamente. Eu nada tinha contra você antes, e não é agora que vou forjar uma revolta. Só tenho pena da vidinha triste que leva você a dizer absurdos de pessoas que, há pouco tempo atrás, constavam da sua listinha de contatos do Outlook. E, se eu nunca cheguei a fazer parte dessa lista, a mim não faz diferença alguma.

Meu Deus. Tens piedade desses vácuos emocionais que, por lapso divino, puseste no mundo.
Ou então, não espere pelo armagedon - enxofre neles, e JÁ.






Bom, pelo menos a caveira voltou. Valeu, Cacá!
Ops. Problemas no Fotki.
Daqui a pouco o blog volta ao normal (se é que teve um) - assim espero.
O Feminismo (em três lições díspares):

..."O feminismo encoraja as mulheres a deixar seus maridos, matar seus filhos, praticar bruxaria, destruir o capitalismo e tornar-se lésbicas" (Reverendo Pat Robertson, numa convenção em 1992)

..."Feminismo é a noção radical de que mulheres são pessoas." (Cheris Kramare, Paula Treichler)

..."Eu nunca fui capaz de definir precisamente o que é o feminismo... Eu só sei que as pessoas me chamam de feminista quando eu expresso sentimentos que me diferenciam de uma estúpida ou de uma puta" (Rebecca West, 1913)
E chega de falar de gente nula por aqui. Daqui a pouco vão achar que eu leio o blog delas.
Quanta geia feia mostrada pela Grobo ontem, no jogo do Brasil. Todo mundo tinha a mesma cara de índio.
E, um tatu como símbolo do Brasil na Copa? Tudo a ver. Lembra terra, buraco, fundo.

E aquele nojento do Beletti reclamando das críticas. Dezessete jogos cagando pra dentro e pra fora, e o cara exige respeito?
Vá tomar no rabo, amiguinho. E use essa camisa da seleção pra limpar-se, depois.

(mas continuo achando que se o Brasil não fosse à Copa, o mico seria menor)
Um Post Hildegard Angel...
A night foi boa. Festa na casa do Eduardo, o Duda Little.

Devíamos levar comida? Devíamos. EU nunca levo nada além da minha presença esfuziante e beleza estonteante. Cambada, carregar potinho plástico com comida pra festas é o fim da picada. Não seria melhor juntar grana ANTES e comprar os "mantimentos"? Festa Americana é coisa dos anos 80 - atualizem-se.

Fora esse tropeço, correu tudo lindamente. Eu não levei comida, nem teria levado dinheiro. Afinal, tenho que ter ALGUMA regalia por ser a DJ da festa. Odiei os primeiros CDs que apareceram, mas depois Roberta e Aline chegaram com os indie ittens indispensáveis e Odilon mais tarde trouxe o seu Baú Musical (e Digital) Anos 70.

As comidinhas... Por que as pessoas não conseguem ser criativas na hora de fazer rango de festa? Puta que pariu, só de pastel tinha umas quatro vasilhas! E sempre de queijo, que dá menos trabalho... Os pastéis de vento se revezavam com os kibes murchos, os bolinhos-de-o-que-afinal-é-isso, as bolinhas de queijo com gosto de sabão em pó... Ainda bem que a mãe do Duda foi pra cozinha rápido fazer umas mini pizzas. Salvou a noite à italiana (ela é filha de romanos, entende do riscado).

As pessoas... são das poucas que valem a pena ser conhecidas e chamadas de legais, pelo menos. Lógico que sempre entra um péla-saco no meio, como essas menininhas que gostam de falar de filmes da Macedônia e trocar informação sobre tintura de cabelo, os manés que conversam sobre os carros e sobre o trabalho numa festa de gente pobre e maluca, mas tudo bem - eu entendo o que é ser desajustado.

Pizzas, Martini, Smiths, Black Sabbath, o Cris tocando violão, a Irene se espatifando bêbada na mureta da varanda e a Cláudia dançando a dança do ventre em cima da mesa, uma ereção involuntária do Pablito (eu não vi essa cena, mas ela teve várias testemunhas), todo mundo cantando Stand by Me no fim da noite, já bêbados e tontos com o cheiro da maconha do Cris...

Nada como um pré-feriadão entre gente anormalmente normal.

Que saco. Acho que o www.fotki.com está virando-se em merda.

quarta-feira, novembro 14, 2001

Minha skin do Winamp. Design by Leozinho.
Não é fofa?

terça-feira, novembro 13, 2001

Bela lembrança, darling. Tartine au Chocolat eu usava até pouco tempo atrás.
Mas pegaste pesado. Blogueiro, quando muito, usa perfume da Natura.
Li pelo blog das divas que a moçoila aqui acha que eu visito o bost dela todos os dias. Ai, ai... Eu não visito nem o meu todos os dias - geralmente vou na home do Blogger, posto e caio fora pra dormir cedo e acordar sem rugas e linda.

Mulérada que passa a night lendo blogs, conselhinho: arrume um macho (de preferência que não seja blogueiro) e passe a noite fazendo sexo.

Por que não pode ser blogueiro? Porque se for, vocês vão acabar fazendo blog-em-dupla-de-casal. Ou então, ele vai te trocar por algum encontro de blogueiros sábado à noite. E imagina como deve ser o filho de dois blogueiros? Vai nascer com crise de abstinência de Blogger, Pitas, Weblogger. Exquisite, Ilha Blog, Desembucha e Greymatter.

E, fofa, leva pro lado pessoal, não. Você sabe que não leio seu blog desde aquele tempo. O comentário foi apenas implicância gratuita - essas coisas, que gente mal resolvida, rebelde sem causa. problemática e que erra o português (feito eu) acha divertidíssimas.
Ficou chateada? Basta sair .
Hoje eu estou especialmente bonita.

O faz entrevista com o(s) cara(s) responsável(is) pela expressão "chique nos úrtimo". Putz. Que nível.
E ainda tem gente que acha ruim o fato de o Jô querer virar Imortal da Academia.

A Academia Brasileira de Bestas não seria o lugar perfeito para uma?

(Jô, não ria da própria piada. Isso constrange. Mais ainda quando ela não tem um pingo de graça).
As Dez Piores Coisas numa Universidade Pública:

... aulas “expositivas" (os alunos mais idiotas ficam perguntando e opinando, se mostrando “interessados”, enquanto os alunos que tiram as melhores notas ou estão matando aula ou com cara de sono...)
...professores com doutorado (geralmente caquéticos e feios, eles se acham o poço da sabedoria concentrada. Fuja deles)
...alunos “opinativos” (aperte-os em questões mais importantes e descubra que eles são boçais)
...sala de computadores (se você conseguir achar pelo menos um 486, dê graças aos Céus – sua faculdade é chique!)
...biblioteca (mofo... isso resume tudo)
...cantina (fedor... isso também resume muita coisa, inclusive a sua fome)
...xerox (as que você tira – não serão úteis nunca. Aprenda a comprar os livros que realmente te interessem).
...xerox (o espaço físico onde elas são feitas – burrice, lerdeza e má vontade em altas doses. Evite, evite, evite...)
...amigos burros (geralmente isolados e problemáticos, colam em você pra fazer trabalhos porque ninguém mais os aceita. Ou leve nas costas numa boa, ou os faça sumir).
...trabalhos em grupo (a menos que Einstein, Darwin, Newton, o casal Curie, Drummond, Aristóteles e Platão, Da Vinci e Galileu façam parte do seu grupo de estudos, ou que você seja um perfeito imbecil, FAÇA TRABALHOS INDIVIDUAIS)
I'm too happy for this blog
too happy for this web
Reecebi outro flyer da Psycho Therapy Party. Fui a duas festas dessas, e entrei pra mailing list. Que lástima. Se pelo menos o flyer ainda fosse bonitinho...

Mas, vá lá - vamos divulgar a bagaça.

O nome mudou. Agora se chama "Kool Thing" (risos). É diversão segura pros indie-otas, uma vez que toca coisinhas como REM, Pixies, Pavement, PJ Harvey, Travis, Teenage Fanclub, Radiohead, Beck, Weezer... O problema é que as festinhas são organizadas por fãs-clubes (Orange Crush, Sir Rockaby e Everyday is Like Morrissey), e a discotecagem fica a cargo deles, ou seja... NADA profissional ou imparcial - você ouvirá as bandas preferidas DELES a noite toda.
As festas acabam ficando previsíveis, as mesmas músicas se repetem em todas. Ou seja - foi a uma? Foi a TODAS. Mas vale pra quem nunca foi a nenhuma.

Rola sábado 17, à partir das 23hs na Nautillus, do Catete (2558-3431) e o mané paga 10 contos se chegar até uma da matina.
Rolam vídeos raros (nunca vi esses vídeos, mas...), sorteio de CDs e camisetas. Ah, a festa é "temática" - Smiths, Suede, Placebo e Belle & Sebastian.

Já fiz a social de hoje. Se eu aparecer por lá, quero entrar de graça, VIU, ELINE??
Por que a imprensa daqui não pára de falar naquele acidente com o air bus em NY?
Não foi ato terrorista, então CHEGA, cacete!! Não tem a menor relevância mundial - pelo menos não para se falar todos os dias comendo metade do Jornal Nacional, com análise de possibilidades, papo de caixa preta, etc.

Parece até que o caraio do avião caiu na Av. Paulista.
Esqueçam essa merda. Se não foi coisa do Osama, não me interessa como diversão. E não quero ver entrevistas com aqueles porquinhos cor-de-rosa chorando.

Já viu que todo americano-classe-média tem cara de porquinho rosa? Que coisa...
Meninos e meninas, nas festas, nos bares e na night em geral – não peçam “suquinho”.
Se a galera está bebendo e você é abstêmio, peça um daqueles drinks de baixo teor alcoólico, ou no mínimo, um refrigerante. Suco, não. É o cúmulo da viadice. Ou da frescura.

Parece que a pessoa está querendo dar uma de superior, quando na verdade é tão somente fraca pra beber. Todo mundo pede a rodada de chopp, e aquela patricinha de twin set cor-de-rosa levanta o indicador mostrando a unha pintada com esmalte “inocência” da Avon: “pra mim um suuuucôôôô, por favôôôr...”. Nessas horas, a turma sente ganas de iniciar um linchamento, mas ninguém ousa sujar os punhos em semelhante porca. E estupro é crime hediondo.

Tem suco de quê?”, meu amigo gay pergunta. O outro responde que tem suco de p..., a turma cai na risada e o viado enrubesce... “Vocês são nojeeeentos, heeeiinnn?”.

Parece que as moças querem posar de educadas e “femininas”, e que os gays não conseguem beber um dry Martini sem capotar. Lógico, quem tá dirigindo não tem que beber NADA, mesmo. Mas se não for o caso, e você não quiser levar fama de fresca ou de fraco, pelamordedeus, peça um coquetel de frutas. Ou uma boa coca cola.

“Suquinho” é coisa pra se tomar no café da manhã. Na noite, consegue ser mais ridículo do que pedir um copo de leite.
Se quiser posar de geração saúde, filho(a), fique em casa à noite e durma antes das dez.

Por que todo mundo acha que eu estudo Publicidade?
Falem sério. Esse blog é porcamente escrito. Como disse o amiguinho do outro blog, eu cometo “deslizes”. É, adoro deslizar a mão na cara dos outros.
Mas vocês passaram longe. Eu VOMITO em estudantes de publicidade. Não estudo essa merda. Estudo uma merda ainda mais vomitável: LETRAS.

Vantagem: pelo menos na minha classe não tem ninguém achando que vai revolucionar o mundo com umas idéias de jerico na cabeça. Nem meninas querendo dar a perereca pra Guanaes e Olivettos.

domingo, novembro 11, 2001

i used to think you were
my pretty angel coming down
well now you’ve just proven me wrong
what about the letters we have written?
all the things we’ve said and done?
well I’ll just stand here while you
count the battles you have won
Um dos méritos desse blog aqui, foi ter humilhado solenemente essa porcaria aqui. O gentil cidadão que vomita essa desimportância se julga extremamente inteligente e articulado. No entanto diz que adora nazistas e que prostitutas deviam ser assassinadas. É ou não é um gentleman essa peça rara?

Well, well... Ele afirma, num dos posts, que "O mundo precisa de mais pessoas boas". Puxa. Essa calou fundo lá na alma. Um cara que diz que putas merecem ser esfaqueadas e acha garbosa a juventude hitlerista, é em essência um ser boníssimo. Daí pra queimar índio nas esquinas, falta bem pouco.

Playboys... Tsc.

Mais uma vez eu falando demais de mim para as pessoas.
Desculpem qualquer coisa aí.
Ah, esqueci de citar esses dois aqui na minha listinha particular de blogs dignos de um eca.
Esse e esse.
"Nada pessoal", viu, crianças?
Agora eu vou curtir o domingão. Té mais.
Esse menino, apesar dos pesares, é bom.
E sabe o que é melhor? Ele SABE disso.

Daí não precisa que a Revista da Folha, que a Domingo, que o caderno de Internet do Globo, que os zines virtuais digam isso pra ele. Mesmo que o mundo cague no que ele escreve/pensa/diz, ele é auto suficiente. Elogios fazem rir, mas críticas, nem fazem cócegas.

Gente que sobrevive de elogio é tão oca, que quando a barriga ronca, faz eco.
ECA.
Para a lambedora de castanha-do-pará que não sai desse blog nojento aqui, e que usa o vomitório virtual dela para criticar gente "revoltada" (a cada cinco posts da garota, dois reclamam disso), vire o disco, minha cara biscateira.

Vá ver se eu tô lá na esquina. Faça de conta que eu não existo (se conseguir). Além de traíra, você é BURRA. Pare de se esconder atrás desse verniz de menina suave, ajustada e culta. Você é tão somente comum, na acepção mais cruel da palavra.

Quando você me dizia que era incapaz de ter um blog porque não sabia escrever, eu não acreditei. Mas agora vejo que a sua humildade estava longe de ser modéstia. A única coisa que você é, em altas doses, é hipócrita, interesseira, falsa e covarde.

Tenha um bom domingo.
Listinha de blogs que exigem papel higiênico após a leitura...
esse, esse, esse, esse, esse e esse.

Tem mais, só que eu não lembro a URL.
Já que isso virou modismo, vamos brincar um pouquinho. E, como dizem os covardões, "essa é apenas uma opinião relativa à página em si, não é nada pessoal".
Alguém aí por acaso conhece a feirinha da Praça XV, no Rio? Fica próxima à estação das barcas, mas não tô falando daquela chique, não... Tô falando daquela que fica embaixo do viaduto, onde só dá podrão. Pois é, durante uns bons tempos eu vendi tralha ali. Camelô, saca?

No início dessa tal feira, até que rolam umas barracas legais. Selos usados, canetas tinteiro do século passado, algum artesanato, móveis antigos... Mas, da metade do viaduto em diante, começa o wildside, o lado sórdido da coisa. Mendigos sujos abrem sacos plásticos no chão, e depositam em cima deles toda a sorte de lixo. É verdade, eles fuçam lixeiras de condomínios chiques atrás de coisas pra vender.

O que eu já vi por lá? Barbies sem cabeça, bichos de pelúcia sujos de feijão e sangue, sapatos com buraco (maior do que a sola) na sola, telefones quebrados, fitas de vídeo e revistas pornô, tudo isso é vendido - e por incrível que pareça, é COMPRADO! Dificilmente alguma coisa custa mais de um real. E, quando custa mais, todo mundo regateia - e acaba levando por um real, mesmo.

Eu tava na pior, precisando fazer dinheiro rápido. Peguei todas as tralhas que tinha em casa e levei pra lá. Acordei às quatro da manhã pra chegar cedo e pegar um lugar legal, mas não teve jeito - fiquei lá atrás, junto com os mendigos (é que muita gente dorme ali pra guardar o lugar).

Vendi roupas usadas, meus tênis que não cabiam mais no pé, fitas de vídeo e CDs que eu odiava, bijouterias escrotas, coisas que ganhei e detestei desde o início...

A fauna... Tinha um colombiano que rodava a feira toda empurrando um carrinho de madeira com rodas de alumínio. O barulho daquelas rodas arrastando no chão era o fino do insuportável. As pessoas jogavam coisas no colombiano, ele fedia absurdos, mas nunca saiu da feira. O que havia dentro do carrinho? Nada. Ele era doido, e não vendia nada.

Tinha outra velha doente mental que só comprava brinquedos. Parecia ter dinheiro, pagava o preço que a gente pedia por qualquer coisa, mas antes xingava muito o vendedor. Eu já fui xingada também, mas vendi pra ela, por cinco reais, uma cabeça de Barbie (pra ele colocar na Barbie sem cabeça que tinha acabado de comprar...).

Foi uma época divertida. Ruim era andar da Central à Praça XV carregando um saco de 15 quilos de tralha nas costas, porque eu não tinha grana pra pagar duas conduções pra chegar à feira.

E o povo ainda acha que eu sou revoltada por marketing. Justo essa gente que paga faculdade, que tem micro top de linha, que tem cable modem, que frequenta bares da moda e usa camisa da GAP pra mostrar que é de "classe". É essa gente que diz que EU não posso falar mal de pobre.
Posso, sim. Vocês é que não podem. Não têm alcance para tanto, já que só conhecem um lado da moedinha.

O internauta padrão é uma besta cagada pela classe "mérdia", que leva uma vida mais merda ainda. Sem a menor possibilidade de merecer respeito, salvo, é lógico, as exceções de praxe que confirmam a regra.
Ah, sim.
Eu tive um só namorado (no sentido real da palavra) na vida, e estou (estive?) com ele durante os meus últimos cinco anos e meio de vida.
Devo ser mesmo uma piranha bem escrota, né não? Tenham piedade da minha pobre alma quando eu finalmente descer ao mais escaldante dos Infernos.

God Save the Bitch.
Achei esse post no Xaxim, de uma das minhas visitantes, e achei tão legal que resolvi dar um copy aqui. Resume também o que eu penso das pessoas...

Bem aventurados os que:
1- ...pensam que cachaça é água
2- ...são patys e a vida se faz num salão de cabeleireiro
3- ...sabem usar o LINUX
4- ...são Sandys e Juniors na vida e tem dinheiro pra se drogar geral (idéia não minha) e ainda ficar bonitinhos
5- ...tem cabelo liso
6- ...que tem moto (pq os q tem moto? -Pq pelo menos eles tem como ir ali na padosa comprar cigarro)
7- ...os bissexuais porque o leque de opção é 2 vezes maior. (é nóis na fita)
8- ...os que vivem na igreja e se realizam com isso
9- ...os que não vivem na igreja e se realizam com isso
10- ...os que são viciados em coca-cola e apreciam fanta uva (é nóis na fita de novo)

É isso. Seja bonitinho, saque de computadores e design, tenha o cabelo liso, se drogue escrotamente mas passe uma imagem clean, seja religioso na superfície pra agradar aos homens (porque a Deus, em tese, você não engana), tenha um veículo legal para poder fazer presença e comer mulher, e seja feliz para sempre.

E finja esquecer que o teu PRA SEMPRE é sempre CURTO. Seu câncer antropológico de MERDA!
Mau Mau, não rolou de eu conectar o ICQ. Se você tivesse Messenger...
Mas valeu pela força, e amanhã TODOS os seus giant mails serão respondidos, babe.
E quer saber de um segredo? Nem é tão segredo - eu sou viciada em críticas.
Parece que macho curte uma banha. Qual é o problema de vocês, porra?
Eu tava meio FAT (obesa) no início do ano - problemas de saúde. Nunca recebi tanta cantada, até de homem em carro importado. Homens que vomitariam em mim, em condições normais.

Tomei uma atitude. Fechei a boca e perdi oito quilos. Parei com o remédio que estava me deixando pesada feito uma cachalote. Copiei a dieta do Serfaty de uma amiga. Comecei a ver os pneus sumindo, as pernas esguias de novo e a barriga encolhendo sem que eu fizesse esforço.

Resultado? Passei a ser solenemente ignorada nas esquinas... Legal.
FODAM-SE. Eu amo olheiras, amo ossos aparentes. Amo aquela sensação de desmaio provocada pela fome, acho "chique nos úrtimo" barriga roncando. Quer coisa mais linda do que entrar num jeans tamanho 14 anos sendo que você tem 1,72m de altura??

Eu vou continuar perdendo peso até virar um palito de churrasquinho miau.
Meu passado é LINDO.
Meu presente é LIXO.
Meu futuro é LIMBO.
Músicas que me deixam docemente deprê...
Being Boring, do Pet Shop Boys. Vocês lembram do clip? Rodava muito na MTV, assim que ela apareceu no Brasil – e foi a sua melhor fase. O vídeo era uma obra de arte em P&B, eu amaria estar naquela festa. Parecia que todo mundo ali tava muito feliz da vida, todo mundo era muito bonito, bem amado e bem resolvido, mas a música parecia dizer que aquilo tudo era só fachada para esconder os achaques existenciais que iam nos corações de cada uma daquelas caras lindas.

Tem um trecho em especial que me derruba... Mas derruba prazerosamente.

now i sit with different faces
in rented rooms and foreign places
all the people i was kissing
some are here and some missing
in my nineteens, nineties
i never dreamt that i would get to be
the creature that i always meant to be
but i thought, in spite of dreams
you’d be sitting somewhere here with me


Parece-me tão real e triste... Depois da juventude de farras, futilidades e volubilidades deliciosas, o sonho acaba. E é quando ela vem, a realidade, que não faz força nenhuma pra esmagar, e esmaga por isso mesmo. Ela é superiormente acachapante, a filha da puta! E todo mundo que era o melhor amigo de todo mundo, hoje em dia nem lembra os nomes uns dos outros. E é como se o cara da música não estivesse, no fundo, nem aí pra isso, aquela decadência toda, se pelo menos AQUELA pessoa estivesse do lado dele.

Só que ela também não estava. Putz.

É essa uma daquelas músicas que vão ficar na nossa listinha de coisas boas da vida para toda a eternidade, e que a gente não tem a menor vergonha de admitir pra todo mundo, mesmo que todo mundo ache uma merda.
Recebi esse e-mail aqui. E não entendi. A resposta voltou, espero que o remetente leia e me explique:

Você tem um site? Ele ainda está ativo? Se estiver mande-me a URL. Agora quanto ao pessoal do fórum você só está perdendo tempo brigando com eles, pois não tem uma maneira de fazê-los mudar de idéia (talvez se colocar o cano de uma 12 na boca de cada um...), pois eles se sentem superiores a você, apesar deles estarem seguindo o seu estilo ao criticá-la...

Primeiro, amigo, quem és tu?
Depois, de QUE fórum falas?
E finalizando - gente que se acha melhor do que eu (quem quer que seja) tem que ter parentesco com Satanás ou Jesus Cristo, para merecer algum crédito.

Se não for o caso, eu mando à merda. Mande também.
Quanto a essas pessoas que desconheço estarem seguindo meu estilo, normal. Estou acostumada a fazer escola, nasci pra trend setter, não tem jeito... O problema é que, nessa minha escola, os idiotas só levam bomba.

E obrigada pela mensagem. A URL é essa aqui – é o único site que possuo, atualmente (os outros são secretos).
Porra, eu AMO Roy Orbison!
Tem cada interpretação que é de chorar... E, em se levando em conta a vida miserável que o cara teve, elas se tornam ainda mais dramáticas e densas.
Coisa muito boa... para poucos.
Hoje meu humilde bloguinho foi citado no piores blogs.
O camarada diz que não, mas é evidente que me desceu o porrete só porque eu falei mal dele aqui. Meu blog existe há mais tempo que o dele, e curiosamente foi "analisado" e incluso na tal lista de piores blogs justamente depois que eu disse que o blog dele era chato.

E é, mesmo. Devia estar na própria lista de piores blogs. Mas eu gostei da crítica que foi feita ao Terrorista. Ele estava PUTO de ódio, mas fingiu muito bem uma imparcialidade que não tem.

Não quero comentar sua opinião que tem todo o meu respeito, mas apenas alertar que seus leitores merecem um pouco de atenção no caso de comentar e citar explicitamente o nome de um blog. Não se trata de publicidade e sim princípio ético, o que com certeza uma "terrorista" não deve ter mas faço valer a observação.

Ética? Eu nunca afirmei ser isso. Sou aética por natureza. Mas quem é esse imbecil pra falar em "respeito por outros blogs" já que ele usa o espaço que tem para falar mal de outras páginas? Ou seja, ELE pode fazer um blog com o único intuito de meter o pau nos outros, DESDE QUE ninguém meta o pau no blog dele, correto? Corretíssimo! Brilhante interpretação de ética.
No mais é apenas um bobo irrelevante compondo um blog idem, achando que escreve bem e fingindo ignorar o fato de que, daqui a algumas semanas, o blog dele não vai ser mais novidade e vai pro limbo.

Mas obrigada por dizer que escrevo bem. Escrevo mesmo, mas esse blog de merda aqui não é reflexo disso.

Só pra finalizar, uma consideração: em se tratando da lista de blogs que o camarada considera como sendo "excelentes" (Roberlan, Apartment 302, Mulher de Fases, Alucinada, InternETC), é uma HONRA pra qualquer um entrar pra lista dos piores.


sábado, novembro 10, 2001

E, não esquenta não, FRAX. Não vou "popularizar" a Lenore - quem sou eu.
Apenas eu tinha esse título de hp da menina morta faz tempo, e a Lenore caiu como uma luva para ilustrá-la. Only that.

E ser udigrúdi por opção é lindo. Mas se a gente passa a ser assim por obrigação...
(e se os retardados passarem a gostar, ótimo pra eles - melhor isso do que a gente passar o resto da vida tendo amigos fãs daqueles desenhos nojentos do Cartoon Network).


Há um lugar no INFERNO para mim e meus amigos.
(e eu não estou nessa foto, thanks God!)
Já tá passando da hora de alguém zunir com Os Normais do ar. Perdeu totalmente o tesão.

Qual é a graça de ficar exibindo a tábua torta da Fernanda Montenegro de calcinha e sutiã? Porra, a mulher já parece uma lombriga anêmica, e ainda a colocam seminua (com aqueles conjuntos de malha em cores berrantes sem o menor sex appeal, cujas calcinhas parecem ceroulas).
E a plástica de nariz do Luiz Fernando foi a primeira que vi a deixar o nariz mais BATATA do que o original.

E agora todo episódio termina dentro de um carro, com o "Casal Zero" dizendo asnices.
Fora do ar, JÁ! Coloquem um campeonato de RPG no lugar.
Que merda é essa? Tentou fazer coluna social e deu nisso...

Sei lá, já tinha ouvido falar no Piores Blogs, fui ler achando que fosse me divertir, mas é bem chatinho. O "editor" parece ter um certo padrão formatado de o que deve ser um blog legal.

Gente, esqueçam blogs.
Mas um mérito desse blog foi ter catapultado para a lista dos piores o blog da tal da Deb Furbid em NY - possivelmente tocando violão na 42.
Boi, se é pra foder, tem que radicalizar.
Sugiro que seja criado um blog intitulado: Os Blogs mais Podres do Ilha.
Hospedado pelo próprio Ilha Blog, que é pra ficar mais cool.

sexta-feira, novembro 09, 2001

Eu vou fazer outro blog ainda pior que essa merda, e não vou dar o endereço a puto nenhum.
Primeira noite de sono na casa nova.
Primeiras coisas de um resto de sempre que a gente nem sabe se será eterno.

Primeiro café da manhã. Primeira refeição completa – primeiro arroto (não o meu, eu sou insuportavelmente chique).
Primeira chuva na casa nova. A gente fica ouvindo o barulho, e nota que na casa nova o barulho da chuva caindo é diferente – tá, é porque bate em outros lugares, mas a gente fica propenso a ser místico e a acreditar em chuvas diferentes.
E aí abre um Chivas na chuva. Primeiro whisky decente na casa nova. Chega de beber acetona.

Primeira faxina na casa nova – fiquei de fora, não tenho talento pra doméstica.
Primeiro Trakinas Colorido comido na casa nova – bem, nesse caso foi a primeira vez na VIDA. Achei uma titica.

Primeira blogada na casa nova. Primeira cagada também, o que dá na mesma.
E não vai ter primeira trepada porque eu sou decente, e porque moro com mamãe. Primeira segunda feira.

Primeiro tombo na casa nova – na escada pro terraço. Primeiro pesadelo, primeira mordida de mosquito - aqui tem muito, atrás da casa há um terreno da Marinha, é até bonito todo aquele verde, mas aparecem alguns insetos estranhos... Não incomodam demais.

Primeiro dia na casa nova. Último dia na casa velha – ela também já teve um primeiro dia, mas ele hoje não conta mais como primeiro nada. E esse também, futuramente, não contará.
E, pelo amor de Deus... PAREM com esse papo de prostituição infantil, ou pelo menos sejam mais razoáveis.
De uma vez por todas: piranhas de 15 anos não são mais crianças!

Se ela não trepar pelo dinheiro, vai trepar com o namorado canalha, que lhe encherá de chifres e doenças impublicáveis.
Em se pensando na qualidade dos homens que assola o planeta atualmente, eu prefiro o dinheiro.
Ponto do ônibus, hoje. Dez e tantas da noite.
Dois casais de namorados à minha frente. Um casal todo bonitinho, abraçadinho, normal. Os outros dois se agarravam, beijavam estalado fazendo barulho, se apertavam e ficavam se atirando de um lado pra outro. O casal normal era normal, mesmo. O casal grudento, como não podia deixar de ser, era FEIO. Uma gordinha barriguda com cara de sapatão teen (sapateen?), e um crioulinho magricelo.

Podem checar na prática.
Todo casal excessivamente grudado e ostensivo é formado por sapos. Sapo e Sapa. Parece que, em se sabendo medonhos, ficam dando espetáculo com o único propósito de mostrar pro mundo: "ei, olha só - eu sou um MONSTRO mas arrumei namorado!!".

Tsc. Eu daria raticida a essas pessoas, mas mortas elas devem feder ainda mais do que estando vivas.
Ou não, né?
À minha meia dúzia de little friends on the web, i'm soooo sorry. Desculpem o lag nas respostas dos emails, mas é que além de não parar em casa durante o dia, preciso estar numa de curtir pra responder mails... À fórceps não rola.
V O L T E I.
Oi, Flink! Com mais calma respondo seu e-mail, já deu pra sacar que vai ser divertido!

Mas, a resposta é não. Não participo mais de blogs coletivos. Além de isso ser meio nerd, não tenho mais tempo sobrando.
E, à exceção de algumas pessoas decentes (quem é, sabe), os participantes do seu blog fedem a mijo envelhecido. Não posso me miscigenar com caboclos metidos a headbangers. É demais pra mim.

E eu tenho cabelo comprido. Headbangers têm piolhos, e usar Kwell seria uma mancha irreparável na minha linda biografia.

Volte sempre.
"Muitas garotas mal-amadas usam o blog pra aliviar as frustrações de uma vida sem relacionamentos sociais e/ou sem sucesso no emprego, estudo ou no que quer que seja, usando uma carapaça de "Eu sou fodona".

Alguém disse pra ele que ele era engraçado. Não é que o tapado
acreditou?
Quem? Esqueçam. Não vai ter link, não. Brinquem de dar search no Google, quem sabe não acham a fonte (de esgoto)? Mas, na boa - não vale esse trabalho.
Marcos Mion processando o Cocadaboa por tê-lo caluniado. Cacete. Não disse? Isso é tesão de argola recolhido.

O Cocadaboa não fede nem cheira. De ONDE o Mion foi arranjar cara de pau para ver naquele site alguma relevância? E será que esse viado asqueroso não sabe que processo contra calúnia e difamação aqui no Brasil não dá em NADA? Basta, na maioria dos casos, um pedido de desculpas público. E depois, o caluniadoR dá uma bela RISADA e continua metendo o pau no idiota... Aí vem novo processo, novo pedido de desculpas... Ufa. haja saco - e de filó - pra aturar tamanha putaria.

O Mion deve estar chateado. Queria que metessem OUTRO tipo de pau nele. Como o pau que entrou foi o verbal... Não que os barangos do Cocadaboa tenham essa fluência e capacidade destrutiva, mas...

O Mion deve estar sendo MUITO mal comido pela Babi; a bonequinha de porcelana não sabe em que orifício é pra enfiar o vibrador - ou qual é o lado certo. Bem feito. Aquela ex-mulé do Mion, Patrícia Coelho, tem cara de sapatona. ELA deve saber.

Mas como ela é nada e o Mion ficou "famoso"... ela foi trocada pela famosinha insossa.
Coisas da vida (imunda).
Estou começando a pegar ódio de viado.

Não adianta, eles não gostam de mim. Nem eu deles. Respeito a opção trepacional deles, mas porra, porque essa animosidade contra à minha gentil pessoa? Olha, pouca gente me acha bonita, mas a viadada me acha linda (péssimo sinal). Daí pra arquitetarem invejinhas e ciúmes de bofes comedores de cu é meio caminho andado.

Eu não tenho nada com a vida (?) de vocês, crianças (??). Ofertem o rabo para quem quiserem. Distribuam HIV para a legião de semi-bichas que se acham homens pra cacete enrabando gays. Mas me deixem fora dessa. Vão dar chiliques noutra freguesia, porque eu realmente ODEIO chiliques, cacete!!! Eu tenho um santo remédio pra crise de histeria de homossexual querendo pênis: TIROS DE FUZIL.

E a minha mira é excelente. Um tiro bem no meio do orifício anal é mais que suficiente pra vocês irem fazer trottoir no purgatório.